quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Álibi

Confesso que sou capaz de fechar meus olhos e ver você sorrindo. E seu sorriso tem um brilho malicioso, quase erótico. Você sorri pelos olhos, esses olhos felinos de gente que não passa pelo mundo sem ser percebida. E é assim que eu percebo você.

Confesso que o silêncio traz o som de sua voz aos meus ouvidos. E eu te escuto ronronar. A fala macia, cheia de sensualidade. Que sai de uma boca pronta para dizer a que veio. Dizer tudo, com um simples sorriso, assim de canto.

Confesso que prendo a respiração e sinto ainda sua barba cerrada roçando minha pele. Sua saliva, seu suor. E você sabe beijar como ninguém. Mesmo que só minha mente tenha concebido tal beijo, é esse seu beijo boêmio, carioca, que guardo comigo.

Confesso que sonho você. Sonho acordada. Sonho uma noite de bar e de bebida. A noite em que deixei você conhecer minha essência. E não tive medo de sua boemia, de sua displicência, não tive medo de você. Porque você e eu somos opostos, somos iguais.

Confesso que sinto sua falta. Que estou com saudade. Que teimo em arrumar um álibi pra voltar a ver você. E, quem sabe, aquele bar realmente exista. E entre as garrafas de cerveja numa mesa sem mesa, a magia daquela noite – as noites de Botafogo, as noites da Lapa – volte na forma de um novo beijo. Quem sabe...

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Alma e Desejo

Você, anjo caído das profundezas de meu próprio ser... Você, anjo enviado para proteger-me de mim mesma. Você, anjo calado, que diz as verdades do universo dos sábios. Você, meu amado menino, tão meu, tão único.

Essa é a minha vez de declarar a você todo o meu absoluto amor. Pois que você é minha referência, minha organização, meu motivo de seguir adiante.

Você, gigante, é a fragilidade de meu ego. É a pureza de minha agressividade. É o aconchego de uma noite de sonhos bons. Em seu peito eu deitei os meus maiores medos... e você não recuou. Em seu ombro eu verti as lágrimas mais doloridas... e você não me abandonou.

Você é o anjo que os céus me deram de presente. Você é o toque que fez minha pele arrepiar. A boca que quis me beijar. Você é a fonte de um desejo secreto. Só meu, só nosso. No ápice de um abraço. No frio!

Através da cidade que brilha no escuro, aquelas vias variáveis (como diria Thiago Thomazini) me atraem até você. Mas, não fique com medo, meu bebê, my baby, pois você é esse brilho que falta em minha pele opaca, em meus olhos cansados, em minh’alma.

Entenda, centauro, que você é a força e a fragilidade, o desejo e a pureza. Você é pleno e belo, como a obra de arte que ainda não emergiu do mármore.

Você, criança, é a mais absoluta e irreverente forma de criação. Criatividade e fúria. Eloquência e impulso. Você é a parte que faltava em mim.

Te amo, agora mais do que nunca. Te amo por sua nobreza, por sua delicadeza, por seu zelo. Te amo porque você é tudo aquilo que me faz bem.

Eu te amo, eu te amo, eu te amo, Tiago.

Amor de Minh'Alma

Escrevo pra você em primeira pessoa. Escrevo para a pessoa, em primeiro lugar. Escrevo pra você, ser de luz e de alma. Ser mais que humano, mais que desejo, mais que amor. É pra você que escrevo. Você sabe...

Pra você, moreno, de olhos lânguidos, eu escrevo e escorro e desdenho o meu amor. Amor incondicional, amor sem sexo, sem luxúria. Pra você escrevo o meu amor absoluto. E você sabe que é pra você.

Amigo, amado, irmão, filho. Minha alma gêmea, meu gêmeo, meu gênero, meu todo. Minha metade melhor, absoluta. Por você, e só por você, declaro meu amor. Você sabe, não preciso dizer.

Criação de minha mente, meu amigo imaginário, minha pelúcia, meu cafuné. Minha única referência de pleno sentimento. Meu amor...

Dói-me em alma sua distância. Mas tenho você eternamente em meu coração. Criatura perfeita. Idealização. Homem dos meus sonhos. Meu homem ideal! Você, e só você, me faz melhor. Por você, pra você, sou o que sou, o que me tornei, assim...

E sou plena de sentido, de amor, de paixão. E é você, minha metade, a minha parte mais pura. Só me sinto inteira perto de você. Só me sinto inteira com você a meu lado. Ao alcance da mão. Mãos dadas. Tanto tempo a esperar por esse toque.

Amor da minha vida, minha cara-metade. É por você que me faço gênio. É por você que me absolvo. Você que é minha carícia, minha carência. Você, meu amor, que é a porção melhor de mim. Assim, ao vivo, melhor que sonho!

Amo você desse jeito simples, sem confusão, sem orgasmo. Porque o melhor prazer é ter você aqui, eternamente tatuado em meu peito!