sábado, 26 de maio de 2012

Você sabe gozar?


Você sabe gozar? É, isso mesmo. Você! Sabe gozar? É, cara, gozo, turgescência, eretismo, orgasmo! Ta no dicionário. Sabe?

Falam que o gozo é a explosão de adrenalina, noradrenalina e ocitocina no cérebro. De 20 a 360 por cento de elevação desse último hormônio jogados no sangue causam a sensação de prazer. Ou seja, uma sopa de substâncias orgânicas. Só isso. Tipo digestão. Saca? Processo químico.

Mas, se você quer saber, gozo é muito mais do que isso. Saber gozar é uma arte. É medir suor, controlar tesão, nivelar respiração, ensaiar carícia. É inspirar-se no toque. É deixar de lado a razão pela sensação. É aguçar a visão, o tato, a audição, o paladar... Gozar é ser quase Deus!

Uma curiosidade? Eretismo, ou o estado de excitação, também é a mesma palavra usada para a síndrome clínica típica da intoxicação por mercúrio. É sério! Ta na Wikipedia!

Gozo, só pra você saber, vai muito além de uma sopa de hormônios ou uma intoxicação por mercúrio. Gozar é estar mais vivo antes do momento de morte. Paradoxalmente, gozar é morrer. De prazer. Um prazer tão intenso, tão sublime, tão único... que é único a cada vez que se goza.

Orgasmos existem muitos. Gustativo, de provar aquela ambrosia dos deuses. Auditivo, ao ouvir Mozart ou Chopin ou qualquer coisa que faça você viajar de cara. Sensorial – sério que existem pessoas que gozam sozinhas com o poder da mente!

Gozo é mais! Gozo é aquele momento mágico, alucinógeno, em que o seu corpo todo entra em colapso, vai ao paraíso e volta. Tudo em questão de alguns segundos.

Sexo? Sexo é só um caminho. O importante é saber gozar com a vida, com cada pingo de vitalidade, cada vitória. Cada pedaço de você é capaz de fabricar essa sopa intoxicante. Essa miscelânea de sentidos. Esse nada perfeito. Essa pequena morte.

Isso é saber gozar. Aproveitar-se todo, de tudo, para tudo. Entendeu? Agora, responde. Você sabe gozar? É, você. Sabe?...

Quer aprender?...