sexta-feira, 28 de março de 2014

Eu não uso minissaia!

Recentemente, um amigo que, apesar de virtual, eu prezo muito, divulgou uma estatística que dizia que 42% dos brasileiros aceitam que uma mulher seja atacada sexualmente porque usa minissaia.

É bem isso, parece loucura. Mas é isso. As pessoas no Brasil aceitam que uma mulher seja insultada, agredida, estuprada. A razão? Ela veste roupas bonitas, sensuais. Não sei quanto a vocês, mas eu me sinto depenada!

Sim, uma mulher é mais fraca que um homem, fisicamente. Excluindo desse páreo minha amiga Rita de Cássia! O fato é que não é por isso que somos menores ou menos importante. Não, isso é um erro.

A vida toda ouvi de minha mãe que deveria ser bonita, vistosa, sensual. Ta, eu nunca consegui, mas era essa a regra. Pra ser uma mulher de fato, seja sexy. Caso contrario, nenhum homem olhará pra você.

E, hoje em dia, tipo 25 anos depois, a regra virou sinônimo de perigo. Seja sexy e você vai ser agredida. Seja sensual e você vai ser abusada. Seja mulher, como ensinaram você a ser, bonita e frágil, e seja um prato cheio para os perturbados... é certo isso?

O raciocínio é quase como: eu tenho uma filha, ela é linda e feminina, ama maquiagem e não vê a hora de usar sutiã... Devo dizer a ela que não usufrua de nada disso, porque senão os tarados vão fazer mal a ela? Devo dizer que ser feminina é errado? Perigoso?

Ou devo dizer à minha filha que, SIM!!! Use saias curtas, afinal você tem pernas lindas. Use calças justas, afinal você vai ter uma bunda linda! Viva a vida e não tenha medo, porque as pessoas são perigosas, mas você sempre pode se defender, se proteger, gritar na cara deles que NÃO bem alto!!!

Prefiro assim. Que ela cresça livre e linda, porque ela É muito linda!!! E que jamais tenha medo do mundo real, do mundo natural. Esse mundo que ela vai ser capaz de encarar. Porque ela é mulher e sabe o seu lugar. E esse lugar é acima do resto!!!!  Estou errada???


quinta-feira, 27 de março de 2014

Oficina de Criatividade Literária

Quem acompanha o blog sabe que raramente escrevo aos leitores de forma direta. Essa é uma dessas vezes. O tema, entretanto, é estimulante! Desde outubro passado, venho recebendo regularmente emails e mensagens sobre novas edições das oficinas que ministrei em anos anteriores. Como, ultimamente, o tempo é curto e os afazeres tomam boa parte dos dias, decidi atender a esses pedidos de forma diferente.

Compilei o material das aulas de Criatividade Literária em uma Oficina Online

"A OFICINA DE CRIATIVIDADE LITERÁRIA tem por objetivo principal estimular e desenvolver a prática da criação em texto de língua portuguesa, suas características e técnicas próprias, primando pela busca da criatividade textual individual, através de exercícios e conteúdos diversos."


A oficina vai funcionar assim: 

  • Serão 15 aulas (módulos) contendo teoria e prática. Muita prática! 
  • Início imediato (assim que confirmada a inscrição).
  • Uma aula por semana (em média).
  • Avaliação dos exercícios e feedback.
  • Atendimento individual aos alunos.
  • Cada aluno produz no seu próprio ritmo, quando e onde quiser.

A quem se destina:

Não é minha pretensão ensinar ninguém a escrever. Muito menos afirmar: faça a oficina e torne-se um autor. NÃO! O que costuma acontecer é a gente "acordar não-criativo". Então, a oficina de criatividade é exatamente isso: técnicas e exercícios divertidos para ampliar as possibilidades criativas. 
A Oficina de Criatividade Literária é voltada para todo escritor - profissional, amador, pretenso - que queira "brincar" um pouco com o objeto textual. Não é para aprender a escrever, mas para soltar os freios da criatividade e experimentar jogos sensoriais em forma de texto.
Sendo assim, qualquer pessoa que se expresse pela forma escrita é bem-vinda!


Para se inscrever:

É fácil! Basta enviar a Ficha de Inscrição preenchida e o comprovante de inscrição (no caso de depósito em conta) para o email: litercriativa@gmail.com.
* Solicite a ficha de inscrição pelo email acima.
* Inscrições pelo PagSeguro são visualizadas automaticamente.
* Verifique sempre se o email não está sendo redirecionado para sua caixa de spam.


Conteúdo abordado:

·         AULA 1 - Introdução. O Conto.
·         AULA 2 - Desmanchando palavras. Vogal oculta.
·         AULA 3 - Poética visual. Poética e alegoria.
·         AULA 4 - Poesia concreta no texto linear.
·         AULA 5 - Palavra e imagem. Pessoa-Objeto.
·         AULA 6 - Texto reinventado. Reconstrução de conteúdo.
·         AULA 7 - Set up e Pay of.
·         AULA 8 - Elementos de percepção. Desconstrução narrativa.
·         AULA 9 - Subjetividade. Ponto de vista.
·         AULA 10 - Descrição.
·         AULA 11 - Narração.
·         AULA 12 - Personagens.
·         AULA 13 - Diálogos e prosódia.
·         AULA 14 - Gêneros e estilos.
·         AULA 15 - Livre criação.

Bônus:

Transformando a oficina presencial em Online, muitas opções surgiram. 
As melhores são: 

  • A possibilidade de ampliação de público. As aulas pela Internet permitem que alunos de todos os lugares participem.
  • A opção de tempo livre de estudo e criação, pois os exercícios podem ser feitos quando e onde o aluno quiser e são enviados por email.
  • A redução (drástica) de custos e tempo. 
  • A facilidade de atender cada aluno individualmente, sem a pressão da produção em sala de aula.

E mais!
A oportunidade de produzir uma coletânea final! 
É isso mesmo: UM LIVRO que será editado ao final do curso, numa compilação dos melhores trabalhos do grupo!

Investimento:

Para a versão online da Oficina de Criatividade Literária, o aluno investirá: R$ 180,00.
As formas de pagamento disponíveis são: 
Depósito em conta (preço à vista).
PagSeguro (em até 18x).

Pelo investimento, o aluno receberá:
  • 15 aulas por email (início imediato).
  • Atendimento individualizado.
  • 5 exemplares do livro final.
  • Além de ampliar suas possibilidades criativas de forma divertida e didática.
Agora é só se inscrever!!!



Depósito em conta:
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (104)
AGÊNCIA 0441
OPERAÇÃO 013
CONTA 1532-6

quinta-feira, 20 de março de 2014

Temporais

Vozes velozes agitam as ventanias. Enquanto isso, o raio vibra no punho de Zeus, pronto a eletrificar o chão. O carro de Hélio não cruza o manto de Nut. Sobre os cúmulos densos e escurecidos, ouvem-se os cascos das montarias das Valquírias. Haverá heróis mortos e será preciso resgatá-los do solo sangrento.

A tormenta se aproxima. Assustadora e violenta, vem arrasar a valentia de qualquer mortal. E os mais bravos correm e se escondem com medo do vento que murmura, lamenta, canta sua canção funesta. As velhas despejam sua ladainha de sortilégios na tentativa de afastar a força do tempo.

Nada adianta, todavia. Cada qual sabe que é preciso cautela. Até os mais jovens e impetuosos se encolherão sob suas camas, apavorados. Cascatas descerão do céu e arrastarão palha e pedra. As Fúrias estarão soltas, nenhuma culpa passará impune ao julgamento de Anúbis.

E só depois da tormenta satisfeita o sol voltará a brilhar. Só depois de devorar a vida da terra a fome das águas deixará o azul voltar e o disco de Aton iluminar os que se salvaram do desastre. E tudo em torno retornará ao termo. Os valentes sairão dos catres, renovados e envaidecidos.


Foi só mais um temporal! 

quarta-feira, 19 de março de 2014

Apenas meu!

Não! Eu não sei. Eu saberia se fosse coisa casual, ocasional, passageira. Eu saberia se fosse efêmero, discreto, apático. Mas não é. É dinâmico, é mágico, é inenarrável. Esse sentir mais tátil do que a camada racional admite. Eu sei, lá no íntimo, que é algo mais que especial. Sei que é!

É quando esse cara me olha... é quando eu vejo a diferença nesse olhar. Ele, antes, olhava com distância e frieza. Esse deslocamento intemporal, aos poucos se tornou claro, íntimo, mais que a intimidade real. Esse jeito que ele me olha é tudo... a intensidade toda, tao absoluta,  não é normal.

Não, não tem homem no mundo – no universo – que me tenha olhado assim. Ele é tão intenso, que eu sei cada palavra que ele não diz. Eu entendo cada reação. A aparente apatia é mera distração. É para os incautos. Não para mim. Eu sei, eu vejo! Eu sinto o “eu te amo” nas entrelinhas, nos sorrisos não tão fáceis.

Eu vejo que esse homem me vê inteira. Ele vê cada defeito, virtude, diferença, semelhança. Sim, ele enxerga mais que a maioria. Mais que qualquer mortal. Ele sabe o que me agrada, o que me estressa, o que me faz triste ou feliz. Sim, ele sabe, esse homem, tudo o que deve saber sobre mim.

E, por incrível que pareça, ele também se deixa conhecer. Ele se entrega. E esse é um privilégio só meu. Saber quem ele é, como ele é, do que gosta... Ele, esse homem, é meu. Ele faz parte de mim e eu faço parte dele. Isso é cumplicidade. Isso é compreensão. Isso é amor. Nada aparte disso será válido. Nunca!


segunda-feira, 17 de março de 2014

Estive pensando...

...Sobre nós. Não leve a mal. Não ligue. Releve. Só estive pensando. Você sabe que pensar é uma coisa que faço bem. Basta que exista o momento, o motivo, a motivação. A mente voa livre por entre os jardins. Eu e minhas alegorias. Enfim... andei pensando sobre nós.

Comecei pelo básico. Lembrei. Lembrança, você sabe, é a base do pensamento lógico. A equação que junta emoção com conhecimento acumulado e resulta em limitadas probabilidades de percepção da realidade vivida. Ou seja, memória. E eu lembrei de nós dois. Muito tempo antes de sermos “nós dois”.

Você lembra? Eu era a discípula ávida por conhecimento. Você, o cara que sabia mais que todo mundo. Um magricelo caladão que dava medo de olhar de frente. Faz tanto tempo, mas creio que não mudamos muito. Ainda sou quem te ouve e te contesta. Você ainda é aquele mago que me fascina.

A diferença é que, hoje, aquele mago é o meu mago. E eu não sou sua aluna, sou sua seguidora. A diferença são dez longos anos, ou quase isso! A diferença é que, agora, os teus olhos não me assustam mais. Ao contrário, eles me dizem tudo o que os teus lábios seletos se privam de falar.

Sim, eu sei. Você não precisa dizer. A verborrágica ainda sou eu. Você é o presente do universo. O melhor de todos, dentre tantos que já ganhei. Você é só pra mim, foi feito pra mim, é o meu número, a minha medida. E eu sei que você sabe que essa medida é recíproca. Sim, eu adoro mimimi’s! Aguente!!!

É que eu estive pensando sobre nós. E cheguei à conclusão de que eu amo você. Não pelo que você já foi pra mim ou pela arte que você desperta ou pelo que o futuro reserva. Eu amo você agora, o homem que você é, o amigo que você é, o sonhador que você é. Antes, eu invejava, idolatrava. Agora, eu amo.

E eu vim só dizer que eu andei pensando em você. E pensando em nós. E eu cheguei à conclusão de que tudo está certo. Tudo é como deveria ser. E é assim. Não interessa se foi o céu ou o inferno ou o irmão cego do Sonho quem escreveu no tal livro do destino. Interessa só você e eu.

Já se vai meia dúzia de meses. Tempo escoando no tempo. Cento e oitenta e dois dias exatos de eternidade etérea. E eu continuo aprendendo a amar você cada vez mais. Um dia, eu quis um anjo. E o universo fez cair um no meu colo! Eu sou feliz desde então! Feliz desaniversário!